Você parece ter perdido sua conexão com a internet!
Certifique-se de que esta conectado para que não perca os dados desta página.
Campos com bordas vermelhas são obrigatórios e devem ser preenchidos corretamente !
Atenção! Vendas feitas no cartão de crédito estão temporariamente indisponíveis.
CASA EDITORA O CLARIM | 113 anos divulgando o Espiritismo
CASA EDITORA O CLARIM
anos divulgando o Espiritismo
MEU CARRINHO
0
itens adicionados
0
Atenção! Vendas feitas no cartão de crédito estão temporariamente indisponíveis.
  • televendas (16) 3382.1066
  • contato
  • WhatsApp (16) 99270.6575
  • redes sociais
  •    
  • MEU CARRINHO
    0 itens adicionados
Produtos ↓
Revista Internacional de Espiritismo • Fevereiro 2019
A nova geração Deus, no processo de criação e recriação, busca alicerçar a humanidade dando a ela o sentimento do bem, que é inato ao ser
Nadjair Elias Abdala
orientadoreducacional@yahoo.com.br
01/02/2019

Será que podemos assumir nossa verdadeira essência? Fomos criados simples e ignorantes, e a cada reencarnação construímos dentro de nós uma nova oportunidade para mudar nosso comportamento e nossa atitude.

O processo de educar para o futuro é a constatação de que seremos as pessoas que colherão o fruto dessa educação, pois vamos retornar à Terra quantas vezes forem necessárias para o nosso crescimento espiritual.

Podemos refletir e perguntar: o que se entende por geração? Que geração é essa? Será que existe geração nova? Como nos educarmos para o futuro? E, consequentemente, que subsídios o Espiritismo nos oferece para o processo da educação?

Primeiramente, o que se entende por geração?

É produzir ou refazer algo igual ou semelhante ao que já existe, nesse caso, o ser humano. Deus, no processo de criação e recriação, busca alicerçar a humanidade dando a ela o sentimento do bem, que é inato ao ser.

Dentro desse contexto, o resultado será educar para transformar, para mudar, para adquirir nossos conhecimentos e, ao mesmo tempo, construir a evolução moral.

“No atual momento de regeneração da Humanidade, conforme afirma Allan Kardec, e confirma a Espiritualidade superior a respeito da transição planetária pela qual passa o orbe terrestre, deixando de ser um planeta de provas e expiações e transformando-se, gradualmente, em mundo de regeneração, assistimos à chegada de uma nova geração de Espíritos que se distingue por inteligência e razão geralmente precoces, juntas ao sentimento inato do bem e a crenças espiritualistas, o que constitui sinal indubitável de certo grau de adiantamento anterior.” (Mundo Espírita, et alli Allan Kardec, 2016)

Nesse sentido, quando a Terra passar por sua transformação crucial, deverá também passar por grandes dificuldades, entre elas guerras e rumores de guerra; haverá muito choro, muita desolação, aumentará o cataclismo etc., com a intenção de fazer com que os seres humanos entendam que são os responsáveis pelo seu destino evolutivo. Ou nós aprendemos pelo amor ou pela dor.

Se fizermos uma comparação ente as gerações humanas, podemos descrever o seguinte:

a) A geração velha é de Espíritos atrasados, preocupados em achar culpados para tudo. São apegados a questões materiais e revoltados contra Deus. Estão impregnados de egoísmo e orgulho. Jamais se acham inocentes.

b) A geração nova usa a inteligência e a razão para explicar os acontecimentos. São pessoas carregadas de sentimento inato do bem. Buscam a evolução moral como mola de crescimento humano. Se enchem de leveza do Espírito, para refletir e demonstrar sua paciência.

No decorrer do tempo será instalado o processo de regeneração; para muitos estudiosos esse tempo já começou. Muitos Espíritos serão expurgados, terão que sair do planeta e remanejados para outros orbes, em especial os que praticam o mal constantemente.

Os bons Espíritos que aqui reencarnam darão início a uma troca de energia, e aos poucos o planeta começará a ser depurado, acontecendo a transformação. Tudo vai ser diferente de hoje.

Porém, para auxiliar no processo de regeneração, devemos educar o ser humano a agir coletivamente, deixando de ser individualista e egoísta, construindo a interação por meio da diversidade. Não somos todos iguais; somos diferentes em todos os aspectos. Essa relação deve ser construída por meio dos relacionamentos entre o indivíduo e o conhecimento.

Segundo André Luiz, em sua obra No Mundo Maior, nosso cérebro trabalha em três caminhos distintos, que se comungam para chegar à evolução espiritual.

1. Subconsciente, que contém as seguintes características:

• Repositório dos movimentos instintivos;

• A individualidade;

• As experiências;

• A resistência dos impulsos automáticos;

• O registro dos serviços realizados;

• O registro do passado, da atual reencarnação ou das anteriores.

2. Consciente:

• As energias motoras para as manifestações do momento evolutivo do ser humano;

• A representação das conquistas atuais;

• A consolidação das qualidades nobres que se está construindo ao longo da evolução humana e espiritual;

• A residência do esforço e da vontade;

• A representação do presente.

3. Superconsciente:

• Guarda materiais que são sublimes para a conquista humana, que se fará gradativamente;

• Representa a parte mais nobre do organismo humano divino em evolução;

• Representa a casa das noções superiores, que indicará o que devemos cumprir para atingir a evolução;

• Nessa parte mora o ideal e as metas que o Espírito deve alcançar na evolução;

• Por fim reside o que representa o futuro.

Nesse sentido, o Espírito deverá assumir a responsabilidade, a moralidade, o respeito durante a escalada evolutiva para a qual está predestinado.

Será que estamos preparados para seguir nosso rumo? Ou temos muito que caminhar neste desafio da reencarnação? Devemos primeiramente saber diferenciar o bem e o mal. O objetivo desses dois caminhos é distinto e os desafios serão maiores.

Devemos ter a convicção de que não há volta, que o planeta vai passar para o mundo de regeneração. E seremos obrigados a conviver com o bem.

Portanto, é necessário que tenhamos perspectivas para que o futuro possa ser melhor que hoje, partindo do princípio que nosso otimismo deve ser mais forte, para juntos construirmos um mundo melhor.

Por isso, devemos plasmar um mundo sem preconceitos, sem separação de raça, de sexo, sem discriminação e acima de tudo que possamos ser verdadeiros cristãos, colocando em prática o Evangelho de Jesus.

Sejamos verdadeiros espíritas, saiamos da máscara que está sobre nosso rosto e coloquemos nossa responsabilidade em primeiro lugar. O mundo somente mudará quando modificarmos nossa essência. Jesus sempre será o fio condutor que norteia nossos caminhos.


- XAVIER, Francisco Cândido. No Mundo Maior. Pelo Espírito André Luiz. FEB Editora, 1947. Versão digitalizada, 2011.

- KARDEC, Allan. A Gênese — Os Milagres e as Predições Segundo o Espiritismo. 17.ed. Rio de Janeiro: FEB, 1975.

- Polis — Enciclopédia Verbo da Sociedade e do Estado. São Paulo: Verbo, 1986.

- TOFFLER, Alvin. Aprendendo para o Futuro. Tradução de Jorge Arnaldo Fontes. Rio de Janeiro: Arte Nova, 1977.