Você parece ter perdido sua conexão com a internet!
Certifique-se de que esta conectado para que não perca os dados desta página.
Campos com bordas vermelhas são obrigatórios e devem ser preenchidos corretamente !
CASA EDITORA O CLARIM | 113 anos divulgando o Espiritismo
CASA EDITORA O CLARIM
anos divulgando o Espiritismo
MEU CARRINHO
0
itens adicionados
0
  • televendas (16) 3382.1066
  • contato
  • WhatsApp (16) 99270.6575
  • redes sociais
  •    
  • MEU CARRINHO
    0 itens adicionados
Produtos ↓
Jornal O Clarim • Dezembro 2018
A renovação da esperança Editorial
Redação
oclarim@oclarim.com.br
01/12/2018

Senhor Jesus!...

Recordando-te a vinda, quando te exaltaste na manjedoura por luz nas travas, vimos pedir-te a bênção.

Releva-nos; se muitos de nós trazemos saudade e cansaço, assombro e aflição, quando nos envolver em torrentes de alegria.

Sabes, Senhor, que temos escalado culminâncias... Possuímos cultura e riqueza, tesouros e palácios, máquinas que estudam as constelações e engenhos que voam no Espaço! Falamos de ti — de ti que volveste dos continentes celestes, em socorro dos que choram na poeira do mundo, no tope dos altos edifícios em que amontoamos reconforto, sem coragem de estender os braços aos companheiros que recolhias no chão...

Destacamos a excelência de teus ensinos, agarrados ao supérfluo, esquecidos de que não guardaste uma pedra em que repousar a cabeça; e, ainda agora, quando te comemoramos o natalício, louva-te o nome, em torno da mesa farta, trancando inconscientemente as portas do coração aos que se arrastam na rua!

Nunca tivemos, como agora, tanta abastança e tanta penúria, tanta inteligência e tanta discórdia! Tanto contraste doloroso, Mestre, tão só por olvidarmos que ninguém é feliz sem a felicidade dos outros... Desprezamos a sinceridade e caímos na ilusão, estamos ricos de ciência e pobres de amor. É por isso que, em te lembrando a humildade, nós te rogamos para que nos perdoes e ames ainda... Se algo te podemos suplicar além disso, desculpa o nada que te ofertamos, em troca do tudo que nos dás e faze-nos mais simples!...

Enquanto o Natal se renova, restaurando-nos a esperança, derrama o bálsamo de tua bondade sobre as nossas preces, e deixa, Senhor, que venhamos a ouvir de novo, entre as lágrimas de júbilo que nos vertem da alma, a sublime canção com que os Céus te glorificam o berço de palha, ao clarão das estrelas:

— Glória a Deus nas alturas, paz na Terra, boa vontade para com os homens!

***

Esta mensagem, assinada por Emmanuel e psicografada pelo insigne Francisco Cândido Xavier, está presente no livro Antologia Mediúnica do Natal, sob o título “Prece do Natal”.

Sabemos que esta é uma época do ano diferente, especial, em que as luzes que nos cercam são mais fulgurantes e os corações são invadidos de sentimentos de harmonia e fraternidade. Contudo, não raro esses poucos dias natalícios detêm a exclusividade na posse de sentimentos tão benéficos; precisamos mudar o panorama e empregar esforços para distribuí-los uniformemente ao longo dos meses que antecedem o tão esperado dezembro.

Sim, compreendemos que o ano não foi fácil. Vivemos períodos de extrema polarização, deixando-nos viciar por interpretações equivocadas do que realmente significa conviver em sociedade. Por vezes quisemos ter razão em vez de buscar entender o outro lado, de conversar, de criar um ambiente sadio e construtivo em prol do bem coletivo. E a que custo? Perdemos amizades, distanciamo-nos de nossos familiares, criamos desavenças com nossos colegas de trabalho...

É certo que a balança não se equilibra. As consequências negativas de nosso orgulho, de nossa vaidade, representaram grande peso sobre nossos ombros, que cansados contemplam com desesperança o findar de um ciclo e o recomeço de outro, meramente aguardando soluções prontas que nos tragam felicidade.

Não... a solução não está no outro e não será milagrosamente desvendada. E o Natal está mais uma vez batendo à nossa porta para nos lembrar de que precisamos desabrochar nossa potencialidade divina, sustentando-a e dando condições para que se desenvolva. A mensagem sábia e consoladora do Mestre esteve sempre presente, traçando uma rota segura que, se a seguíssemos, evitaríamos inúmeros dissabores. Somos teimosos, é verdade, mas Jesus, o grande governador do planeta, jamais desiste de nós e confia que chegaremos à plenitude. Sua reencarnação foi a prova material de que esteve, está e estará sempre conosco, basta que deixemos sua luz invadir nossas almas, livrando-nos da descrença e da desilusão.

Agradecendo por mais um ano em que estivemos juntos, atuando conjuntamente na divulgação da mensagem cristã, e desejamos que as bênçãos do Natal possam estar em todos os corações.